SC Vouga
Grupo

História

Fundadores da SC Vouga

SC Vouga - Manuel Caetano Henriques

Manuel Caetano Henriques

SC Vouga - Anibal Rodrigues da Graça

Anibal Rodrigues da Graça

SC Vouga - Miguel de Almeida e Silva

Miguel de Almeida e Silva

SC Vouga - Samuel de Oliveira Caetano

Samuel de Oliveira Caetano

SC Vouga - Samuel de Oliveira Fernandes

Samuel de Oliveira Fernandes

Atualidade

Atualmente a SC Vouga é administrada por João Graça, neto do fundador Aníbal Graça e por Paulo Silva, neto do fundador Miguel Almeida Silva e bisneto de Manuel Caetano Henriques, impulsionador da fundação da empresa.

Em 2014 a empresa voltou a ser distinguida com o prémio PME Líder, atribuído no âmbito do programa FINCRESCE a empresas que se destacam pela qualidade do seu desempenho e perfil de risco. A SC Vouga obteve esta distinção, ou similar, por dez vezes desde 1997.

SC Vouga

2010

Novas marcas comercializadas pela SC Vouga

Desde o início da década são já várias as novas marcas importadas pela SC Vouga para distribuição em território nacional. Especial destaque para a líder de mercado francesa Michelin, no segmento de pneus “premium” para moto, scooter e bicicleta desde 2013.

A Valvoline, a EBC, a Gates e a Pinlock também delegaram na SC Vouga a sua representação oficial em Portugal. No ciclismo, o início da década também trouxe marcas novas, incluindo nas novas tecnologias, como é o caso dos aparelhos para navegação da MIO, marca subsidiária da MiTAC International Corp.

SC Vouga

2003

Assistência Técnica da 65.ª edição da volta a Portugal

Em 2003, no ciclismo, a SC Vouga participou na assistência técnica da 65ª edição da Volta a Portugal em bicicleta. No mesmo ano, dada a constante evolução nos meios de transporte e na rapidez de entrega foi encerrada a filial na cidade do Porto.

Em 2005, a SC Vouga assegurou a representação e distribuição oficial da Shimano na Argentina e em 2007 abriu instalações em Espanha para expandir o comércio de motociclos.

Durante esta década a SC Vouga alargou a gama de marcas importadas no setor do ciclismo e promoveu-as ao mais alto nível: em 2006, o galardoado Cândido Barbosa correu com rodas da marca PRO na 68ª edição da Volta a Portugal.

1996

50.º Aniversário da SC Vouga

A 18 de janeiro de 1996 a SC Vouga celebrou o seu 50.º aniversário. Meio século de existência atesta o rigor e seriedade com que a empresa se implementou no mercado nacional, sendo uma das mais antigas casas comerciais do setor das duas rodas a trabalhar no mercado nacional.

À data a SC Vouga distribuía mais de 50 marcas a nível nacional, desde ciclomotores, motos e bicicletas a motobombas e às mais diversas peças e componentes para ciclismo, motociclismo, agricultura, floresta e jardinagem.

Em 1997, a SC Vouga iniciou a comercialização dos “automóveis sem carta” da marca francesa JDM.

SC Vouga

1995

Distribuição da marca Pirelli

Em 1995 a SC Vouga iniciou a importação e distribuição da marca italiana Pirelli, uma das mais conhecidas e prestigiadas marcas de pneus a nível mundial. Quatro anos mais tarde, em 1999, a empresa realizou o 1º Encontro Pirelli em Portugal.

Ainda em 1995, realizou-se o primeiro encontro oficial KTM com a presença do piloto Heinz Kinigadne (campeão do mundo em 1984 e 1985), promovido pela SC Vouga em Águeda e juntando dezenas de pilotos e motociclistas amadores.

Durante a década de 90 a SC Vouga aumentou o seu volume de negócio através da comercialização de scooters, sobretudo das marcas Italjet, de origem italiana e Sanyang, provenientes de Taiwan.

SC Vouga

1994

Representação oficial da marca Shimano

A década de 90 foi marcada pela chegada de uma das principais marcas atualmente importadas e distribuídas pela SC Vouga em Portugal.

No final de 1991 foi acordada a distribuição de peças e componentes para ciclismo da prestigiada marca japonesa Shimano. Em 1994, a SC Vouga formalizou a representação oficial da marca que veio a aumentar substancialmente o volume de negócio da empresa no ramo do ciclismo.

SC Vouga

1985

Extensão ao ramo da agricultura, floresta e jardim

Na década de 80 a SC Vouga continuou a alargar a sua rede nacional de revendedores e em 1984, já não se justificando a existência da filial das Caldas da Rainha, a empresa manteve apenas aberta a sua filial do Porto. Os anos 80 foram também marcados pela chegada de novas marcas à empresa, com destaque para as bicicletas Gipiemme, os pneus de moto Metzeler e os pneus de bicicleta Hutchinson.

A meio da década a SC Vouga estendeu a atividade à agricultura, floresta e jardinagem e em 1985, a importação de motosserras e de outros produtos de marca Tanaka deram o impulso à SC Vouga neste novo ramo de comércio, tirando partido da já vasta rede de revendedores em território nacional.

SC Vouga

1971

SC Vouga assegura representação oficial da NGK em Portugal

O início dos anos 70 foi marcado pela continuidade da expansão da empresa. Logo no início da nova década a SC Vouga assegurou a representação oficial de duas importadas novas marcas em Portugal – nos pneus, a IRC e nas velas de ignição a líder de mercado mundial NGK. As duas marcas japonesas vieram impulsionar ainda mais o nome da SC Vouga e encontram-se ainda hoje entre as principais marcas comercializadas pela empresa.

Em 1971 a SC Vouga foi cofundadora da Órbita, Bicicletas Portuguesas, LDA e começou também a comercializar a atualmente bastante conhecida marca de bicicletas portuguesas.

SC Vouga

1961

Importação e distribuição da marca KTM em Portugal

O início da década de 60 foi marcado pelo início da importação e distribuição exclusiva da KTM em Portugal, marca austríaca que viria a notabilizar a SC Vouga no motociclismo.

A boa aceitação da KTM Pony I, primeiro modelo comercializado pela SC Vouga, ditou em 1968 a importação do segundo modelo da marca austríaca, as famosas Hobby.

Também nesta década, a SC Vouga abriu a sua primeira filial, na cidade do Porto em 1964 e dois anos mais tarde, em 1966, a segunda filial, localizada nas Caldas da Rainha.

SC Vouga

1958

Ínicio da comercialização de motociclos

Em 1954 a SC Vouga estendeu o seu ramo de atividade ao comércio de peças para motociclos e ciclomotores. Também nesta década a SC Vouga começou a importar algumas das marcas que ainda hoje comercializa – os carburadores Bing, as lâmpadas Flösser e as correntes Regina.

O sucesso da SC Vouga na comercialização de peças para motociclos e ciclomotores levou à venda das primeiras motos em 1958, com a importação do modelo Globmaster da marca holandesa Magneet. Assim como aconteceu no ramo do ciclismo, a SC Vouga começou a montar também motos, sob a marca própria Vouga. Em simultâneo começaram a ser comercializados pneus da marca Dunlop.

SC Vouga

1946

Comercialização de bicicletas e acessórios

As origens da Sociedade Comercial do Vouga encontram-se intrinsecamente ligadas à fundação da MACAL por Manuel Caetano Henriques, em 1921. O sucesso da Macal ditou a necessidade de abrir um armazém de peças e a 18 de janeiro de 1946 nasce a Sociedade Comercial do Vouga, impulsionada por Manuel Caetano Henriques.

Inicialmente, a SC Vouga dedicou-se apenas à comercialização de peças para bicicletas e bicicletas completas das marcas Humber, Raleigh e Rudge e de marcas próprias montadas nas suas instalações, sob as designações de Vouga, Albata, Zurkof e Catalina e equipadas com pneus Semperit e Vredestein.

SC Vouga
motociclismo
e acessórios
ciclismo
e acessórios
floresta
e jardim